Segunda-feira, 20 de janeiro de 2020
» Busca interna
» Busca no Google
» Órgãos federais
» Governo federal
» Senado
» Câmara
» STF
» TSE
» STJ
» TCU
» Estados
» Alagoas
» Bahia
» Ceará
» Maranhão
» Paraíba
» Pernambuco
» Piauí
» Rio Grande do Norte
» Sergipe
» Políticos
Escolha o Partido
» Notícias via email
» Jornais online
» Últimas Notícias
“Queremos que governo restabeleça texto original de medida que renegocia as dívidas de agricultores do Nordeste e do Norte”, diz Júlio César
04/09/2018 - 19:16h
04/07/2018 - 16:16h - Genésio Araújo Jr.
(Brasília-DF, 04/07/2018) O coordenador da Bancada parlamentar do Nordeste no Congresso Nacional, deputado Júlio César (PSD-PI), defendeu nesta quarta-feira, 04, que o presidente Michel Temer restabeleça o texto original da medida que renegocia as dívidas dos agricultores com bancos de fomento em até R$ 200 mil, como garantia a Lei 13.340/2017.

Em entrevista exclusiva ao portal da Política Real, ele comentou e apoiou a decisão do presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (MDB-CE), em não devolver a Medida Provisória 842MP 842, que na prática revogou (anulou) a renegociação das dívidas rurais de financiamentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), do Programa de Cooperação Nipo-Brasileira para o Desenvolvimento dos Cerrados (Prodecer) e do Programa Especial de Crédito para a Reforma Agrária (Procera).

Inviabilizar negociação

“O Presidente do Congresso tem essa de aceitar ou não uma Medida Provisória, uma vez que a MP que atende os preceitos constitucionais para ser emitida”, disse Júlio César, em conversa com o jornalista Gil Maranhão.

“Mas o que o governo quer é inviabilizar toda a negociação dos agricultores que foi prorrogada em 2018 na Lei 13.606, prorrogando o prazo da Lei 13.340. Nessa lei estão incluídos todos os recursos financiados com os fundos constitucionais de financiamento do Norte (FNO) e do Nordeste (FNE) e os recursos mistos (que são verba dos bancos e dos fundos)”, emendou.

Veto derrubado

O coordenador da bancada nordestina lembra que o artigo 3º dessa lei, que tratava dos débitos dos agricultores com os bancos, de até 200 mil - que não diziam respeito nem ao FNO, nem ao FNE - foi revogado.

“Nós (parlamentares) derrubamos o veto presidencial, restabelecemos o projeto que foi aprovado pelo Câmara e pelo Senado. Depois de promulgado o veto pelo presidente do Congresso – quando é derrubado um veto presidencial, o presidente da República não assina mais nada é promulgado pelo Congresso Nacional -, o governo federal editou a Medida Provisória 842, que veio para inviabilizar qualquer negociação”, explicou.

Sem dinheiro

Júlio Cesar também criticou o governo Michel Temer, que alega não ter recursos para tratar desta questão.

“O governo diz que não tem dinheiro. Mas eu fui agora ao relatório da Receita Federal, nos cinco primeiros meses de 2018, o governo arrecadou mais de R$ 50 bilhões, em relação aos cinco primeiros meses de 2017.. Mostrei isso para o governo. Isso corrigido pelo IPCA, ou seja, está atualizado. Então, essa desculpa que governo não tem dinheiro é furada”, contestou.

O parlamentar piauiense disse que a Bancada do Nordeste quer negociar com o governo federal “da forma que queríamos ter negociado”.

“Propusemos para derrubar só os vetos que interessam ao Nordeste e uma parte do Norte, e o governo não aceitou”, explicou. “Ai o presidente do Congresso, Eunício Oliveira, boicotou e derrubou todos os vetos. São 104 vetos derrubados na sua totalidade. Então, entrou ações que são do Brasil todo. O prejuízo para o Tesouro, com essas ações, é de R$ 17 bilhões, porque entrou uma ação que só ela, da agricultura do Brasil todo, representa R$ 14 bilhões”, continuou o deputado.

Texto original

“O que nos querermos agora é que seja restabelecido o texto original da primeira Lei, que abrange só o Nordeste e o Norte, em relação a renegociação de até R$ 200 mil”, completou o coordenador do colegiado nordestino.

Júlio César acrescentou que esteve nesta terça-feira, 03, como ministro Caros Marun (Secretaria de Governo) para tratar do assunto. “Estive lá e conversei muito com ele sobre isso e eles estão vendo o que fazer”. O deputado disse, ainda, que Eunício Oliveira já quis devolver a MP 842/2018. “Mas ele devolver simplesmente não resolve. Nós termos que devolver, negociado com o governo um novo texto de medida provisória que inclua só aqueles benefícios que já estavam na Lei 13. 340.”

DO QUE TRATA A MP 842

A MP 842/2018 anula a renegociação de dívidas rurais de financiamentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), do Programa de Cooperação Nipo-Brasileira para o Desenvolvimento dos Cerrados (Prodecer) e do Programa Especial de Crédito para a Reforma Agrária (Procera).

A medida também revoga o desconto para liquidação de débitos de produtores rurais com linhas de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A MP trata de artigos que foram vetados pelo presidente Michel Temer, em janeiro, durante a sanção da Lei 13.606, e derrubados em abril pelos deputados e senadores em sessão do Congresso Nacional.

Após ser analisado na comissão mista, o texto será votado nos Plenários da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. A MP 842 foi publicada no dia 25 de junho e tem validade por 60 dias prorrogáveis, uma única vez, por igual período. Se não for apreciada em até 45 dias, entrará em regime de urgência, suspendendo todas as demais deliberações da Casa em que estiver tramitando.

(Por Gil Maranhão. Agência Política Real. Edição: Genésio Jr.)
Mais Notícias
27/11 | 19:42h - Humberto Azevedo e GAJ
BANCADA DO NORDESTE: Átila Lira pede que General Ramos libere os restos a pagar das emendas parlamentares; Bosco Costa quer saber qual o projeto do governo Bolsonaro para revitalizar o São Francisco

(Brasília-DF, 27/11/2019) O deputado Átila Lira (PP-PI) pediu nesta quarta-feira, 27, que o ministro General Luiz Eduardo Ramos – responsável pela articulação política do gove...
27/11 | 19:41h - Humberto Azevedo e GAJ
BANCADA DO NORDESTE: José Rocha pede que General Ramos apoie iniciativa que retira risco de crédito às instituições bancárias e educacionais nos contratos do Fies

(Brasília-DF, 27/11/2019) O deputado José Rocha (PL-BA) pediu nesta quarta-feira, 27, que o ministro responsável pela articulação política do governo do presidente Jair Bolson...
27/11 | 17:05h - Humberto Azevedo e GAJ
BANCADA DO NORDESTE: Após Gildenemyr pedir maior atenção aos deputados bolsonaristas, ministro General Ramos afirma que não se pode tratar a oposição apenas a "pão e água"

(Brasília-DF, 27/11/2019) O deputado Gildenemyr (PL-MA) reclamou nesta quarta-feira, 27, com o ministro responsável pela articulação política do governo Bolsonaro, General Lui...
27/11 | 15:48h - Humberto Azevedo e GAJ
BANCADA DO NORDESTE: Major Vítor Hugo pede que General Ramos priorize atendimento aos parlamentares nordestinos que apoiam Bolsonaro, apesar da oposição que os governadores da região fazem ao governo federal

(Brasília-DF, 27/11/2019) O líder do governo na Câmara, deputado Major Vítor Hugo (PSL-GO), pediu nesta quarta-feira, 27, ao ministro General Luiz Eduardo Ramos – responsável ...
27/11 | 15:37h -
BANCADA DO NORDESTE: Júlio César pede esclarecimentos da Caixa sobre queda nos investimentos voltados ao Nordeste; em resposta, vice-presidente financeiro disse que não houve queda, mas mudança na metodologia

(Brasília-DF, 16/10/2019) O deputado Júlio César (PSD-PI), coordenador da Bancada do Nordeste, pediu nesta quarta-feira, 16 que a Caixa Econômica Federal (CEF) esclarecesse al...
17/10 | 14:56h - Humberto Azevedo
BANCADA DO NORDESTE: Deputados nordestinos focam na questão habitacional; Damião Feliciano quer saber sobre mudanças no MCMV, enquanto Rejane Dias pede mais apoio a construção civil

( Publicada originalmente às 21h 46 do dia 16/10/2019) (Brasília-DF, 17/10/2019) O deputado Damião Feliciano (PDT-PB) pediu nesta quarta-feira, 16, ao presidente d...
» Áudio
ID:
Senha:

Apóiam essa idéia:
Bancada do Nordeste 2005 - Política Real - Todos os direitos reservados
Contato: redacao@bancadadonordeste.com.br