Sexta-feira, 19 de janeiro de 2018
» Busca interna
» Busca no Google
» Órgãos federais
» Governo federal
» Senado
» Câmara
» STF
» TSE
» STJ
» TCU
» Estados
» Alagoas
» Bahia
» Ceará
» Maranhão
» Paraíba
» Pernambuco
» Piauí
» Rio Grande do Norte
» Sergipe
» Políticos
Escolha o Partido
» Notícias via email
» Jornais online
» Últimas Notícias
Wellington Dias defende unidade dos nordestinos para retomada de obras estruturantes do Nordeste, como a Transnordestina
09/12/2016 - 17:48h - Gil Maranhão
( Publicada originalmente às 13h 45 do dia 07/12/2016)



(Brasília-DF, 08/12/2016) “Eu sou defensor da tese que a nossa força é a nossa união”. A declaração é do governador do Piauí, Wellington Dias, ao defender nesta quarta-feira, 07, durante Café da Manhã da Bancada Parlamentar do Nordeste, no Congresso Nacional, a “unidade” entre deputados e senadores da região para retomada de obras estruturantes, como a Ferrovia Nova Transnordestina.

Dias também defendeu que os governadores dos três estados a serem diretamente contemplados pela ferrovia – Piauí, Ceará e Pernambuco – pressionem o governo federal na liberação de recursos para dar celeridade aos trabalhos de conclusão dos trechos que faltam.

“Acredito que essa unidade da Bancada do Nordeste, dos três governadores dos estados envolvidos com a ferrovia e também dos setores empresarial e laboral, todos juntos, temos grande possibilidade de vitória neste pleito”, enfatizou o governador, elogiando a iniciativa do colegiado nordestino em criar um grupo de trabalho para acompanhar o andamento das obras.

Geração de empregos

Wellington destacou que a Transnordestina é a maior obra de ferrovia do Brasil, capaz de gerar neste primeiro momento cerca de 6 mil empregos. “Pra que melhor do que isso”, questionou. “Sem falar que vai contribuir para garantir redução do Custo Brasil.”

“Aqui, nesta reunião, foi importante a ideia de manter a concessão, liberar os recursos e se ter um cronograma”, destacou o governador. “Basta liberar, agora, neste primeiro momento, R$ 150 milhões para que a gente já tenha a retomada imediata da obra, além de garantir a condições de trechos em andamento nos estados do Piauí, Ceará e de Pernambuco”, salientou.

Para ele, é importante também “garantir empregos nesses três estados” e tem uma “atuação forte” daqui para frente por parte da empresa responsável pela ferrovia.

Região do Matopiba

Dias acredita que se for implementado um novo ritmo aos trabalhos da ferrovia “a tendência, pelo cronograma, é concluir a obra em 2019” no trecho que compreende à Região do Matopiba (nova fronteira agrícola do País que compreende os estado do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia).

“No Caso do Piauí, vai beneficiar muito essa região que vai de Eliseu Martins e Uruçuí em direção o Porto de Pecém, no Ceará”, afirma o gestor piauiense. “Mas, numa perspectiva de, em seguida, ser uma ferrovia também integrada com o Porto de Suape, em Pernambuco, e com a ferrovia Norte-Sul”.

Pressão/investidores

Ao ser questionado que o setor privado também está fazendo uma pressão muito grande por conta dos investimento que foram feitos pensando a ferrovia, Wellington Dais disse que essa pressão também existe no Piauí.

“Nós temos um problema que são os investidores que acreditaram na obra, no cronograma do governo, fizeram investimentos produzindo soja, milho, eucalipto e outros, investindo também na área de mineiro de ferro, mármore e gessos e estão agora nesta situação, tendo que transportar produtos a custo de transporte caro, através de rodovias, porque a ferrovia não ficou pronta”, revelou.

Segundo o governador “este é mais um ingrediente que nos coloca na obrigação de lutar pela celeridade e conclusão da obra, governo federal, estados e a Companhia Siderúrgica Nacional, parara garantir, como o apoio da Bancada Federal do Nordeste, a conclusão desta obra. Portanto, é fundamental chegarmos em 2019 entregando essa obra.”

Desvinculação de receitas

O governador do Piauí, que também representa a região Nordeste nas negociações com o governo federal para liberação aios estados do dinheiro referente à multa da repatriação de recursos de brasileiros no exterior, disse que está otimista em relação aos diálogos com Planalto. Ele informou que os governadores também continuam conversando com o Supremo Tribunal Federal sobre o assunto.

“Ontem mesmo nós tratamos no Supremo sobre um outro problema. Nós tivemos uma retirada de recursos dos estados e municípios, desta vez da CIDE, que é a Contribuição sobre combustíveis. Ou seja, quando aplicaram os 30% da DRU – Desvinculação das Receitas da União, não aplicaram como diz o nome. Era para aplicar os 30% apenas na parte da receita da União e aplicaram tirando dinheiro dos estados e municípios”, informou.

De acordo com o governador, só da última parcela estava prevista R$ 378 milhões para os estados “e foram repassados apenas R$ 1, 8 milhões”. Para o estado do Piauí, por exemplo, que ia receber R$ 4,7 milhões para manutenção de obras recebeu apenas R$ 45 mil. “Nós apresentamos as razões aos ministro Teori Zavascki e acho que vamos vencer”.

Repatriação

Dias anuncia que os governadores tem uma reunião nesta quarta-feira com a ministra Rosa Weber, relatora da questão da multa da repatriação. “Estamos animados com a possibilidade de termos um acordo, após a decisão do presidente da República, onde o governo se antecipa ao Supremo e celebra , hoje, um acordo, com a presença da Advocacia Geral da União e dos procuradores dos estados e governadores, em que a União garante pagar já na segunda-feira o valor da multa da repatriação.”

Ele disse que para o Brasil são cerca de R$ 5,3 bilhões. Para o estado do Piauí, cerca de R$ 173 milhões. “O Brasil inteiro acompanha as dificuldades dos estados, já tendo três com decretação de calamidade. É um dinheiro que pertence aos estado e vai contribuir para darmos conta de demandas de interesse do nosso povo”, concluiu.

(Por Gil Maranhão – Agência de Notícias Política Real. Edição: Genésio Jr.)

Mais Notícias
27/12 | 17:16h - Gil Maranhão
Renegociação de dívidas rurais com o Funrural é aprovada; Júlio César diz que medida também beneficia “endividados da seca”

13/12/2017 - 12:00h - (Brasília-DF, 13/12/2017) O coordenador da Bancada Parlamentar do Nordeste no Congresso Nacional, deputado Júlio César (PSD-PI), comemorou nes...
14/12 | 14:00h - Gil Maranhão
Júlio César comemora aprovação de projeto que parcela dívidas de agricultores com o Funrural e prejudicados pela seca

07/12/2017 - 16:40h - ( Publicada originalmente às 21h 32 do dia 06/12/2017) (Brasilia-DF, 07/12/2017) O coordenador da Bancada Parlamentar do Nordeste no Congress...
07/12 | 16:56h - Gil Maranhão
BOLSA FAMÍLIA – Aumento real anunciado pelo governo para 2018 vai beneficiar quase 7 milhões de famílias do Nordeste

17/11/2017 - 16:40h - Gil Maranhão ( Publicada originalmente às 16h 13 do do 14/11/2017) (Brasília-DF, 16/11/2017) O aumento real que o governo federal anunciou est...
17/11 | 16:55h - Gil Maranhão
FINAL DA HISTÓRIA: Veja como votou a Bancada Nordeste na segunda denúncia da PGR contra Michel Temer

26/10/2017 - 12:00h - ( Publicada originalmente às 23h 04 do dia 25/10/2017) (Brasília-DF, 26/10/2017) A bancada nordestina é a segunda bancada entre todas as repr...
26/10 | 12:03h - Gil Maranhão
Júlio César quer parlamentares nordestinos empenhados para reverter decisão do TSE de extinguir 600 zonas eleitorais

20/09/2017 - 15:30h - Gil Maranhão (Brasília-DF, 20/09/2017) O coordenador da Bancada Parlamentar do Nordeste no Congresso Nacional, deputado Júlio César (PSD-PI) defende...
20/09 | 19:58h - Gil Maranhão.
">Edvaldo Moura diz que extinção de zonas eleitorais "é danosa aos interesses da democracia representativa, ao eleitor e à Justiça Eleitoral"

(Brasília-DF, 20/09/2017) O vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Estado Piauí (TRE-PI) e membro da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB), desembargados Edval...
» Áudio
ID:
Senha:

Apóiam essa idéia:
Bancada do Nordeste 2005 - Política Real - Todos os direitos reservados
Contato: redacao@bancadadonordeste.com.br