Domingo, 19 de janeiro de 2020
» Busca interna
» Busca no Google
» Órgãos federais
» Governo federal
» Senado
» Câmara
» STF
» TSE
» STJ
» TCU
» Estados
» Alagoas
» Bahia
» Ceará
» Maranhão
» Paraíba
» Pernambuco
» Piauí
» Rio Grande do Norte
» Sergipe
» Políticos
Escolha o Partido
» Notícias via email
» Jornais online
» Últimas Notícias
Análise: Rodrigo Maia é o retorno da política
18/08/2016 - 14:11h
14/07/2016 - 13:30h - Genésio Araújo Jr.
(Brasília-DF, 14/07/2016) A eleição de Rodrigo Maia, mesmo que para um mandato de passagem, que levará a um novo momento de escolha na Câmara Federal, logo ali, em fevereiro – não pode deixar de ser reconhecida como uma vitória da política.

A eleição de Eduardo Cunha em fevereiro de 2015 foi o início do fim do bonapartismo que se estabeleceu no Brasil durante um período em que houve crescimento econômico com um aprisionamento da dinâmica social, face a forma como os movimentos sociais e econômicos também passaram a se mover por quase uma década.

À luz do que se via, a eleição de Cunha foi a derrota da política do bonarpatismo, que impigiu ao País, naturalmente, sequelas. O então Presidente da Câmara se aliou aos excluídos do processo de então e se fez representar por uma “elite” política que ele criou, com jovens parlamentares ou personagens sem histórico relevante no Parlamento.

Cunha, o improvável, soube agir como poucos na realização de seus objetivos que foram facilitados pela inapetência da chefe de Governo de então, a presidenta afastada Dilma Rousseff.

A eleição de Maia traz para o centro do jogo político os profissionais tradicionais, que começaram reunindo interesses tanto do Governo como da Oposição. Isso é política parlamentar. Em sua fala inaugural, logo após o resultado da eleição, Rodrigo Maia lembrou primeiro do nome do líder do PT. Isso é política, meus caros!

É forçoso lembrar, por Justiça, que noutros momentos este analista salientava que fosse qual fosse o resultado da escolha do novo Presidente da Câmara Federal o Governo do Presidente da República, em exercício, Michel Temer sairia perdendo. Apesar do resultado da eleição em que um aliado saiu vitorioso e um outro acabou derrotado de forma acachapante, a maioria dos envolvidos vem se comportando bem, não indicando grandes problemas pela frente. A verdade é que os problemas virão.

O Centrão não deve ter um nome forte para conduzí-lo, em tese ele deve fenecer como ocorreu com o mesmo Centrão surgido à época da Constituinte de 1988. A verdade é que o parlamento ganhou o gosto pelo protagonismo, os grupos conservadores que circulavam dentro do Centrão devem voltar a se movimentar de forma nuclear como no passado, porém mais altaneiros. A sociedade brasileira está mais conservadora, face aos erros da esquerda.

Rodrigo Maia é um exemplar da política e dos políticos formados na dinâmica do jogo dos pesos e contrapesos que sabe pelo sofrimento do afastamento do poder que não é possível deixar de dialogar sempre com a sociedade.

Resta aguardar para ver no que vai dar!

( GAJr é coordenador editor da Política Real)
Mais Notícias
27/11 | 19:42h - Humberto Azevedo e GAJ
BANCADA DO NORDESTE: Átila Lira pede que General Ramos libere os restos a pagar das emendas parlamentares; Bosco Costa quer saber qual o projeto do governo Bolsonaro para revitalizar o São Francisco

(Brasília-DF, 27/11/2019) O deputado Átila Lira (PP-PI) pediu nesta quarta-feira, 27, que o ministro General Luiz Eduardo Ramos – responsável pela articulação política do gove...
27/11 | 19:41h - Humberto Azevedo e GAJ
BANCADA DO NORDESTE: José Rocha pede que General Ramos apoie iniciativa que retira risco de crédito às instituições bancárias e educacionais nos contratos do Fies

(Brasília-DF, 27/11/2019) O deputado José Rocha (PL-BA) pediu nesta quarta-feira, 27, que o ministro responsável pela articulação política do governo do presidente Jair Bolson...
27/11 | 17:05h - Humberto Azevedo e GAJ
BANCADA DO NORDESTE: Após Gildenemyr pedir maior atenção aos deputados bolsonaristas, ministro General Ramos afirma que não se pode tratar a oposição apenas a "pão e água"

(Brasília-DF, 27/11/2019) O deputado Gildenemyr (PL-MA) reclamou nesta quarta-feira, 27, com o ministro responsável pela articulação política do governo Bolsonaro, General Lui...
27/11 | 15:48h - Humberto Azevedo e GAJ
BANCADA DO NORDESTE: Major Vítor Hugo pede que General Ramos priorize atendimento aos parlamentares nordestinos que apoiam Bolsonaro, apesar da oposição que os governadores da região fazem ao governo federal

(Brasília-DF, 27/11/2019) O líder do governo na Câmara, deputado Major Vítor Hugo (PSL-GO), pediu nesta quarta-feira, 27, ao ministro General Luiz Eduardo Ramos – responsável ...
27/11 | 15:37h -
BANCADA DO NORDESTE: Júlio César pede esclarecimentos da Caixa sobre queda nos investimentos voltados ao Nordeste; em resposta, vice-presidente financeiro disse que não houve queda, mas mudança na metodologia

(Brasília-DF, 16/10/2019) O deputado Júlio César (PSD-PI), coordenador da Bancada do Nordeste, pediu nesta quarta-feira, 16 que a Caixa Econômica Federal (CEF) esclarecesse al...
17/10 | 14:56h - Humberto Azevedo
BANCADA DO NORDESTE: Deputados nordestinos focam na questão habitacional; Damião Feliciano quer saber sobre mudanças no MCMV, enquanto Rejane Dias pede mais apoio a construção civil

( Publicada originalmente às 21h 46 do dia 16/10/2019) (Brasília-DF, 17/10/2019) O deputado Damião Feliciano (PDT-PB) pediu nesta quarta-feira, 16, ao presidente d...
» Áudio
ID:
Senha:

Apóiam essa idéia:
Bancada do Nordeste 2005 - Política Real - Todos os direitos reservados
Contato: redacao@bancadadonordeste.com.br